A grande parte dos casos, no Brasil, está concentrada no estado de São Paulo. Para presidente do Conselho Nacional de Secretários da Saúde, resposta brasileira à doença é “protocolar e insuficiente”.
Em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (26), Rosamund Lewis, líder técnica para varíola dos macacos da Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que “a situação do Brasil é preocupante”, de acordo com o jornal Valor Econômico.
Até o momento, o país conta com 813 casos confirmados, segundo o Ministério da Saúde. O saldo representa um incremento de 33% em comparação à última sexta-feira (22), quandohavia 607 diagnósticos confirmados  em todo o país.
A maior parte dos casos se concentram no estado de São Paulo. A Secretaria de Estado da Saúde informou nesta segunda-feira (25) que o estado já registrou 590 diagnósticos da doença ,relata  a Folha de São Paulo.
A líder técnica da OMS também chamou atenção para problemas de testagem que podem afetar o país. “O que é […] importante é o acesso aos testes”, declarou.
No sábado (23), a organização anunciou que o vírus é considerado emergência pública de preocupação global.
Também hoje (26), o presidente da Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), Nésio Fernandes, apontou que a resposta do país à nova doença é “protocolar” até agora e pode se tornar “insuficiente” nos próximos meses.
“Na nossa avaliação, o Brasil corre o risco de repetir os erros cometidos no começo da pandemia de COVID-19”, alertou Fernandes citado  pela BBC Brasil.
Fonte: Sputinik News
Foto:AFP 2022 / Fabrice Coffrini