Conselho pede que novos secretários de saúde mantenham ação contra Aedes aegypti

207
Conselho pede que novos secretários de saúde mantenham ação contra Aedes aegypti
Conselho pede que novos secretários de saúde mantenham ação contra Aedes aegypti
Conselho pede que novos secretários de saúde mantenham ação contra Aedes aegypti

O presidente do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira, disse hoje (29) que a mudança dos secretários municipais de saúde preocupa a entidade quanto ao combate ao Aedes aegypti. Em alguns estados “a mudança passa de 70%, [o]  que nos preocupa. Então, teremos um momento de sensibilização nos 26 estados, acolhendo os novos secretários, mas chamando a atenção para este tema, que precisa ter continuidade”, disse.

Segundo Junqueira, perto de 3 mil novos secretários municipais de saúde assumirão os cargos em janeiro. “Estamos chamando a atenção dos secretários [atuais] para manter a mobilização até 31 de dezembro, porque o mosquito não vai esperara a transição [de governos]”, disse.

Junqueira e o ministro da Saúde, Ricardo Barros, participaram hoje de uma videoconferência com os secretários estaduais de saúde e os coordenadores das 27 salas estaduais de Coordenação e Controle que atuam no monitoramento do inseto transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Na próxima sexta-feira (2) será realizado o Dia Nacional de Combate ao Mosquito. A ideia, segundo Barros, é que a mobilização aconteça todas as sextas-feiras, com a verificação de possíveis focos de criadouro do Aedes aegypti. “Vamos mobilizar os municípios e toda sexta-feira será dia de combate ao mosquito. Precisamos que a sociedade replique isso, porque as nossas equipes, que são força pública, farão o que é necessário, mas as pessoas precisam ser motivadas para acompanhar as ações em escolas, residências e áreas públicas, para eliminar o foco do mosquito”, disse.

A mobilização nacional consiste em ações integradas e simultâneas, desenvolvidas em articulação com prefeituras, governos estaduais e população. Militares das forças armadas também participarão das atividades em 200 municípios.

Para o ministro, é preciso diminuir o potencial do vetor de transmissão da dengue, zika e chikungunya e de multiplicação das doenças. A nova campanha do Ministério da Saúde chama a atenção para as consequências dessas doenças, além da importância de eliminar os focos do Aedes. “Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar”, alerta a campanha.

EBC

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here