O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) demonstrou mais uma vez, nesta sexta-feira (25), que anda preocupado com a repercussão sobre o seu governo e com a CPI da Covid. Em coletiva de imprensa, no interior de São Paulo, o político deu novo chilique e atacou uma repórter da CNN Brasil.

Tudo aconteceu em evento de inauguração do Centro de Tecnologia 4.0, em Sorocaba. A jornalista quis saber sobre o atraso na compra de vacinas contra a covid-19 e o chefe do Executivo logo detonou a profissional.

“Em fevereiro? Onde é que tem vacina para atender todo o mercado aqui e em todo o lugar do mundo? Responda! Para de fazer pergunta idiota, pelo amor de Deus”, disparou Bolsonaro.

Ao ser questionado na sequência por uma outra jornalista, o “capitão” interrompeu furioso: “Nasça de novo você! Ridículo, ridículo! Está empregado onde? Pelo amor de Deus”.

Ainda durante o papo com jornalistas, o presidente, que estava sem a máscara de proteção e ainda visivelmente alterado, continuou gritando com os profissionais de imprensa. Ele ainda declarou que a imprensa faz “perguntas idiotas” e “ridículas”.

“Para de fazer pergunta idiota, pelo amor de deus. Então, seguinte, vamos fazer pergunta inteligente, pessoal”, seguiu o político, exaltado. Bolsonaro ainda garantiu que nunca houve corrupção registrada em seu governo.

O ataque de fúria do presidente da República contra repórter da CNN Brasil acontece na mesma semana em que ele causou polêmica ao mandar uma jornalista da TV Vanguarda, afiliada da Globo, “calar a boca”.

Tudo aconteceu em coletiva de imprensa em Guaratinguetá, na última segunda-feira (21). Bolsonaro se irritou com questão sobre o não uso de máscara. “Para de tocar no assunto. Você quer botar… Me botem. Vai botar agora? Estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora? Você está feliz agora? Essa Globo é uma m… de imprensa! Vocês são uma porcaria de imprensa! Cala a boca!”, reagiu ele.

O presidente estava de máscara no início da entrevista, mas retirou a proteção após a pergunta, ignorando um decreto do governo de São Paulo.

Em nota, a Globo repudiou o ataque do político à jornalista. “A Globo e a TV Vanguarda repudiam o tratamento dado pelo presidente à repórter Laurene Santos, que cumpria apenas o seu dever profissional. Não será com gritos nem intolerância que o presidente impedirá ou inibirá o trabalho da imprensa no Brasil. Esta, ao contrário dele, seguirá cumprindo o seu papel com serenidade. À Laurene Santos, a irrestrita solidariedade da Globo e da TV Vanguarda”, declarou o comunicado.

 

Fonte: Terra