O presidente do Haiti, Jovenel Moise, foi assassinado na manhã desta quarta-feira (7), dentro de sua própria casa. Segundo o primeiro-ministro interino Claude Joseph, o crime foi cometido por um comando de “elementos estrangeiros”. A esposa do presidente foi ferida no ataque, chegou a ser hospitalizada, mas não resistiu e também morreu.

Joseph, que disse ter assumido o posto de Moise, pediu “calma” à população e garantiu que a polícia e o Exército vão manter a ordem.

 

O ataque acontece em meio ao crescimento da violência política na empobrecida nação caribenha. Com o Haiti dividido politicamente, e enfrentando uma crescente crise humanitária e desabastecimento de alimentos, há temores da disseminação da desordem.

A violência foi alimentada pelo aumento da pobreza e da instabilidade política. Moise enfrentou protestos ferozes desde que assumiu a Presidência em 2017, com a oposição acusando-o neste ano de tentar impor uma ditadura ao ampliar seu mandato e se tornar mais autoritário – acusações que ele negava.

Principal aeroporto do país é fechado 

O aeroporto internacional de Porto Príncipe, capital do Haiti, foi fechado após o assassinato do presidente Jovenel Moise e da primeira-dama Martine Moise.

Os aviões que já viajavam para o país foram obrigados a voltar atrás ou a modificar sua rota. Uma aeronave da American Airlines, por exemplo, teve de retornar para Fort Lauderdale, nos Estados Unidos.

Já a companhia aérea haitiana Sunrise Airways cancelou todos os seus voos até “novo aviso”.

República Dominicana fecha fronteira

O presidente da República Dominicana, Luis Abinader, ordenou o imediato fechamento da fronteira com o Haiti por conta do assassinato de Jovenel Moise, que era alvo de protestos havia vários meses e de contestações à legitimidade de seu mandato.

A República Dominicana é o único país que faz fronteira terrestre com o Haiti, nação mais pobre das Américas e assolado por recorrentes crises políticas.

Segundo a imprensa local, Abinader convocou seu principais comandantes militares para definir as estratégias em relação ao Haiti e ordenou o reforço da segurança na divisa entre os dois países.

 

Fonte: Terra