Maioria das aéreas cortou rotas internacionais para o Brasil devido ao coronavírus e fechamento de fronteiras. Veja as empresas que têm voos programados.

Várias companhias aéreas cortaram voos internacionais para o Brasil devido à pandemia de coronavírus e às restrições de viagens impostas por diversos países. Porém, boa parte das empresas opera atualmente ligações de cidades no exterior principalmente para São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza e Recife.

As rotas internacionais ainda em atividade estão sendo usadas por brasileiros que estão no exterior para voltar ao Brasil. O Itamaraty informou em nota que está buscando todas as opções para repatriar os nacionais residentes no Brasil que encontraram problemas com seus voos de retorno ao país.

O Ministério das Relações Exteriores informa ainda que, caso seja possível o retorno ao Brasil por voo comercial, “essa opção deve ser sempre considerada tendo em vista que outras opções de repatriação podem ser inviáveis ou demoradas em alguns lugares”.

“A opção de voos fretados está sendo considerada para regiões em que se verificou total interrupção do tráfego aéreo e outras possibilidades de repatriação não são viáveis”, diz a nota enviada à DW Brasil. “São voos pagos pelo governo brasileiro e que dependem de negociação específica com governos estrangeiros, não apenas na origem do voo, mas, em diversas ocasiões, com eventuais escalas.”

Veja abaixo a situação das principais empresas aéreas que operam no Brasil. O texto será atualizado constantemente com as mudanças que ocorrerem nas malhas das companhias:

Azul:

A empresa brasileira opera voos diretos do aeroporto de Viracopos, em Campinas/SP, para Fort Lauderdale.

Em relação aos voos para Lisboa, o governo português estendeu a suspensão de todos os voos diretos entre Brasil e Portugal até 1º de março. A decisão foi tomada em decorrência do aumento do número de casos de coronavírus no país europeu, principalmente relacionados à nova cepa da covid-19 que surgiu no Amazonas.

GOL:

A companhia aérea brasileira pretende retomar seus voos internacionais a partir de março de 2021.

Latam:

A empresa aérea brasileira opera de forma reduzida as rotas de São Paulo para Frankfurt, Assunção, Buenos Aires, Nova York, Madri, Montevidéu, Miami e Santiago, Cidade do México e Orlando.

A Latam suspendeu o trajeto entre São Paulo e Londres a partir de 25 de dezembro, sendo que a data de retomada está sujeita às determinações das autoridades do governo brasileiro. A decisão ocorre após o governo do Reino Unido identificar no final de dezembro uma segunda mutação do coronavírus com maior risco de contágio em território britânico. Além disso, o Reino Unido institituiu regras mais duras para quem chega de países como o Brasil a partir de 15 de fevereiro. Os passageiros deverão reservar e pagar 1.750 libras (cerca de 13 mil reais) para passar uma quarentena de 10 dias em hotéis autorizados pelo governo britânico.

Em relação aos voos para Lisboa, o governo português estendeu a suspensão de todos os voos diretos entre Brasil e Portugal até 1º de março. A retomada dos voos da Latam para a capital portuguesa está sujeita às determinações das autoridades do país. O objetivo é evitar o aumento de casos de coronavírus com a circulação de novas variantes.

A Latam suspendeu temporariamente as rotas de São Paulo para Bogotá (de 29 de janeiro a 28 de fevereiro) e para Lima (de 31 de janeiro a 28 de fevereiro), além de reduzir as operações no trecho entre São Paulo e Buenos Aires (de 1º a 28 de fevereiro) devido às determinações dos governos de Colômbia, Peru e Argentina.

Aerolíneas Argentinas:

A companhia argentina retomou seus voos de Buenos Aires para São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Salvador. Devido à nova cepa do coronavírus detectada no Brasil, o governo argentino pediu a redução de 50% dos voos entre Argentina e Brasil.

No sistema de reservas consta a retomada das operações entre a capital argentina e Porto Alegre a partir de 1º de março. Já o trajeto para Curitiba deverá ser operado no início de 2021.

Aeromexico:

A empresa mexicana opera voos regulares entre Cidade do México e São Paulo.

Air Canada:

A companhia canadense decidiu suspender temporariamente a rota entre São Paulo e Toronto de 17 de fevereiro a 1º de maio. Mas, procurando atender os viajantes que decidirem antecipar as viagens, a empresa vai operar um voo extra entre o Brasil e o Canadá no dia 19 de fevereiro.

As novas regras para entrada no Canadá entram em vigor em 22 de fevereiro. A partir desta data, além de precisar fazer o teste de PCR para covid-19 na chegada ao país, o passageiro terá que aguardar o resultado se hospedando durante três noites em um hotel indicado pelo governo local e os custos serão por conta do viajante. Depois disso, será obrigatório cumprir a quarentena de 14 dias.

Se o passageiro viajar no voo do dia 19 de fevereiro, ele não terá que cumprir as novas regras, porém precisará apresentar o exame de PCR negativo, realizado com até 72 horas antes do embarque, e cumprir uma quarentena de 14 dias após o desembarque em Toronto. Para embarcar é necessário atender às exigências do governo canadense para viagens essenciais.

Air China:

A companhia chinesa, que faz a rota São Paulo-Madri-Pequim, suspendeu suas operações nesta rota até março de 2021. Ela afirma ainda que a retomada das operações dependerá da prevenção e controle da covid-19.

Air Europa:

A companhia espanhola opera voos de Madri para São Paulo.

O sistema de reservas da empresa não indica ainda informações sobre a retomada dos voos da capital espanhola para Salvador, Fortaleza e Recife.

Air France:

A companhia francesa realiza a rota de Paris para São Paulo e Rio de Janeiro.

Alitalia:

A Itália suspendeu a partir de 16 de janeiro os voos vindos do Brasil e proibiu a entrada de passageiros que tenham passado pelo país nos últimos 14 dias, devido a preocupações com uma nova variante do coronavírus originária do Amazonas. Quem chegar à Itália do Brasil será obrigado a fazer um teste para detectar o vírus.

Amaszonas:

A empresa aérea boliviana retomou seus voos na rota entre Santa Cruz de la Sierra e São Paulo. No sistema de reservas da companhia não é indicada a retomada dos trajetos de Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu para Santa Cruz de la Sierra.

American Airlines:

A companhia americana opera de São Paulo para Miami e Dallas; e de Miami para Rio de Janeiro e Manaus.

Os voos de Guarulhos para Nova York deverão ser retomados apenas em 28 de março de 2021.

A companhia decidiu encerrar definitivamente suas operações entre Los Angeles e São Paulo; de Nova York para Rio de Janeiro; e de Miami para Brasília.

Avianca:

A Avianca suspendeu seus voos de Bogotá para São Paulo e Rio de Janeiro seguindo uma decisão do Ministério da Saúde e Proteção Social da Colômbia, que ordenou a suspensão da entrada em território colombiano de voos vindos do Brasil. A suspensão dos trajetos ocorre a partir de meia-noite desta sexta-feira (29/01) e vigorará por um mês.

Avior:

A empresa venezuelana opera entre Caracas e Manaus.

Boliviana de Aviación (BoA):

A empresa opera seus voos diários de São Paulo para Santa Cruz de la Sierra e Cochabamba.

Não há previsão ainda para a retomada do trajeto direto entre São Paulo e La Paz.

British Airways:

A companhia suspendeu os trajetos de Londres para São Paulo e Rio de Janeiro, após o governo do Reino Unido identificar no final de dezembro uma segunda mutação do coronavírus com maior risco de contágio em território britânico.

Além disso, o Reino Unido institituiu regras mais duras para quem chega de países como o Brasil a partir de 15 de fevereiro. Os passageiros deverão reservar e pagar 1.750 libras (cerca de 13 mil reais) para passar uma quarentena de 10 dias em hotéis autorizados pelo governo britânico.

Cabo Verde Airlines:

A empresa aérea do país africano, que operava no Brasil voos da Ilha do Sal para Fortaleza, Recife e Porto Alegre, suspendeu todas as suas operações.

Copa Airlines:

A empresa panamenha retomou suas operações da Cidade do Panamá para São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Manaus. A companhia retomará suas operações para Porto Alegre a partir de 02 de março.

A empresa deve voltar a operar seus voos da capital panamenha para Recife e Salvador somente no segundo semestre de 2021.

Delta Airlines:

A empresa americana opera de São Paulo para Atlanta e Nova York.

Já o trajeto direto do Rio de Janeiro para Atlanta deverá ser retomado no primeiro trimestre de 2021.

Eastern:

A empresa aérea americana iniciará suas operações de Belo Horizonte para Boston em 30 de maio; para Miami em 31 de maio; e para Nova York em 1º de junho.

Edelweiss:

A empresa aérea suíça deverá retomar seus voos entre Zurique e Rio de Janeiro a partir de 30 de março.

Emirates:

A companhia aérea retomou os serviços de passageiros de Dubai para São Paulo a partir de 11 de fevereiro.

Já os serviços de passageiros de São Paulo para Dubai permanecerão suspensos até 28 de fevereiro.

Não há previsão quando a empresa retomará os voos entre Dubai e Rio de Janeiro.

Ethiopian Airlines:

A companhia nacional da Etiópia opera a rota entre São Paulo e Adis Abeba.

FlyBondi:

Os voos da companhia aérea de baixo custo argentina de Buenos Aires para São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Florianópolis deverão ser retomados a partir de julho de 2021.

Iberia:

A companhia espanhola opera voos diretos de Madri para São Paulo e Rio de Janeiro.

JetSmart:

A empresa de baixo custo chilena retomou seus voos de Santiago do Chile para Foz do Iguaçu e Salvador. Não há previsão ainda para a retomada do trajeto da capital chilena para São Paulo.

KLM:

Desde 23 de janeiro, o governo holandês colocou em prática uma proibição de viagens de passageiros a alguns países considerados de risco por causa da covid-19. O Brasil está incluído nessa lista e os voos de São Paulo e Rio de Janeiro para Amsterdã não transportam passageiros e operam exclusivamente com cargas até que a proibição de viagens termine ou novas regras sejam impostas pelas autoridades holandesas. Conexões para outros países dentro e fora da Europa estão disponíveis, seguindo as exigências dos governos locais para trânsito ou destino final.

Porém, os voos de Amsterdã para São Paulo e Rio de Janeiro continuarão operando com passageiros. A KLM está reacomodando os passageiros que têm reservas nos voos impactados em aeronaves da Air France ou de outras companhias aéreas.

Lufthansa:

A empresa alemã opera a rota entre Frankfurt e São Paulo, mesmo após o governo alemão decidir nesta sexta-feira (29/01) pela proibição da entrada no país de viajantes vindos do Brasil e de outros países com forte presença de variantes mais transmissíveis do novo coronavírus. A proibição entrou em vigor a partir do sábado (30/01) e vigorará até, no mínimo, 17 de fevereiro.

A medida prevê exceções para cidadãos alemães, membros do núcleo da família de alemães que viajam com eles (o núcleo da família inclui cônjuges, parceiros registrados, filhos menores e pais de filhos menores), pessoas com residência e direito de residência na Alemanha, bem como passageiros em trânsito (sem entrada na Alemanha) e para os transportes de carga e de caráter humanitário.

O sistema de reservas da companhia indica a retomada dos voos de Frankfurt para o Rio de Janeiro e, ainda, de Munique para São Paulo a partir de março de 2021.

Norwegian:

O site da companhia low cost, que operava o trajeto entre Londres e Rio de Janeiro, mostrava voos disponíveis a partir de 26 de outubro (três vezes por semana). Porém, a empresa decidiu fazer uma reestruturação e, para reequilibrar seu caixa, os voos transatlânticos da empresa deverão ser cancelados. Ela quer focar somente nas rotas de curta distância.

Qatar Airways:

A empresa do Catar opera voos entre São Paulo e Doha.

Royal Air Maroc:

A companhia marroquina deve retomar seus voos de Casablanca para São Paulo e Rio de Janeiro a partir de março de 2021.

Sky:

A empresa de baixo custo chilena retomou seus voos de Santiago para Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis.

O sistema de reservas não indica ainda a retomada da rota entre a capital chilena e Salvador.

South African Airways (SAA):

Antes do início da pandemia de coronavírus, a empresa sul-africana já havia anunciado o cancelamento de sua rota entre São Paulo e Johanesburgo.

Surinam Airways:

A empresa aérea do Suriname voltará a operar entre Panamaribo e Belém a partir de 05 de março de 2021.

Swiss:

A empresa suíça opera a rota entre Zurique e São Paulo.

TAAG – Linhas Aéreas de Angola:

O governo de Angola suspendeu as ligações aéreas com Brasil, Portugal e África do Sul a partir da meia-noite de 24 de janeiro. Por isso, os voos entre Luanda e São Paulo da TAAG estão suspensos.

TAP:

O governo português decidiu que todos os voos diretos entre Brasil e Portugal estão suspensos até 1º de março. A decisão foi tomada em decorrência do aumento do número de casos de coronavírus no país europeu, principalmente relacionados à nova cepa da covid-19 que surgiu no Amazonas.

No final de janeiro, Portugal já havia suspendido por duas semanas os voos diretos de todas as companhias aéreas que chegassem ou saíssem em direção ao Brasil. Agora, estendeu o prazo até 1º de março. As únicas exceções são os voos humanitários, de repatriação e de carga.

A TAP operava voos para diversos destinos no Brasil, como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Belo Horizonte e Maceió; a Latam voava de Guarulhos para Lisboa; e a Azul de Campinas para Lisboa.

Se o passageiro decidir ir para Portugal fazendo escala em outro país, ele terá que apresentar teste negativo de covid-19 feito nas 72 horas anteriores ao embarque e cumprir quarentena de 14 dias após o desembarque. É importante lembrar que o país de escala ou conexão também pode ter restrições de embarque distintas para Portugal.

Turkish Airlines:

O governo da Turquia anunciou a proibição de voos do Brasil devido à nova variante do coronavírus.

Porém, a Turkish Airlines negociou com seu governo a manutenção das operações e, por enquanto, os voos continuam sendo operados e visam somente os passageiros brasileiros que fazem conexão em Istambul e aqueles que estejam dispostos a fazer na chegada uma quarentena de 14 dias em locais designados pelo governo da Turquia.

United:

A companhia americana opera de Houston para São Paulo e Rio de Janeiro, além de New York (Newark) para Guarulhos.

A United anunciou que retomará o voo entre São Paulo e Chicago a partir de 6 de março.

O sistema de reservas não indica ainda a retomada do trajeto de São Paulo para Washington.

Virgin Airways:

A empresa aérea britânica, que havia adiado o lançamento da rota entre Londres e São Paulo de 29 de março para 5 de outubro, decidiu não iniciar o trajeto entre a capital inglesa e o aeroporto internacional de Guarulhos.