“Anjos enviados para nos proteger durante toda a nossa vida”. Essa é a definição para os “Anjos da Guarda”, mas que pode ser perfeitamente aplicada aos profissionais que fazem parte da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) – da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE). Com o início de suas atividades em 1995, o órgão chega ao seu 24º aniversário nesse 4 de julho de 2019, com o compromisso de buscar o melhor nível no atendimento ao cidadão. Ligada à cúpula da Segurança do Estado, a Coordenadoria tem se destacado não só pelo apoio às forças policiais mas também em atendimentos aeromédicos, onde as aeronaves têm importância fundamental no socorro a vítimas de acidentes ou outras complicações de saúde.

O secretário da Segurança, André Costa, falou sobre o aniversário da Coordenadoria, e fez questão de destacar a qualidade da unidade aérea, referência no País. “Para nós, é um orgulho a Ciopaer completar mais um ano de existência. Um grupamento aéreo policial de destaque em todo País, o único que faz transporte aeromédico 24 horas por dia. Tem ainda uma escola policial de aviação, a única do País, que além de formar pilotos comerciais também forma por instrumentos”, disse. “Hoje é uma referência e, em termos de tecnologia e qualidade das aeronaves, é a melhor do País, com helicópteros biturbinas, inclusive o mais novo, H135, que é a aeronave policial mais moderna não só no território nacional, mas na América Latina, o que faz da Ciopaer um motivo de orgulho para os cearenses e para a Segurança Pública do Estado”, completou o titular da SSPDS.

A Ciopaer desempenha funções de apoio a operações policiais, patrulhamento aéreo, resgates, transportes aeromédicos, transporte de pessoal, apoio às ações de defesa civil, transporte de órgãos e tecidos humanos para transplante, monitoramento ambiental e de recursos hídricos, geração de imagens para fins de segurança pública e institucionais, entre tantas atividades possíveis.

“A Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas completa 24 anos como referência de unidade aérea de segurança pública no Brasil, pela qualidade do serviço público prestado, utilizando as mesmas técnicas empregadas nas melhores unidades aéreas do Brasil e do mundo”, destaca o delegado Aristóteles Tavares, coordenador da unidade aérea cearense. “Temos equipamentos de alta tecnologia que são usados para nossas missões de resgate, combate a incêndios florestais, operações policiais diurnas e noturnas, tudo em prol da sociedade cearense, para quem temos a honra de trabalhar 24 horas por dia, todos os dias do ano”, completou.

Nos primeiros seis meses de 2019, das 781 missões da Coordenadoria, 85 foram voltadas para o atendimento aeromédico. Em tempo, as missões totalizaram 1.058 horas voadas. O serviço fica atrás apenas da atuação da Ciopaer em trabalhos de patrulhamento (236) e em operações policiais (89). Também se destacam os 29 voos de resgates e os 19 onde os profissionais atuaram na busca por pessoas ou embarcações. Em todo ano de 2018, as aeronaves participaram de 1.357 missões.

Atendimentos aeromédicos

Para as missões aeromédicas, a Ciopaer tem parceria com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). O trabalho é um dos destaques da unidade aérea, onde a tripulação é formada por profissionais da área da saúde do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu Ceará), que atuam embarcados em aeronaves equipadas com todo aparato específico para fazer o transporte e atendimento médico de vítimas até as unidades de saúde mais próximas.

Entre as missões realizadas em 2019, destaca-se o transporte feito pela aeronave de Ana Cláudia Ferreira, 30, e sua filha, Ana Vitória, que nasceu no dia 22 de março deste ano, prematura de 32 semanas. A recém-nascida e sua mãe foram levadas do hospital de Várzea Alegre, na região Centro Sul, para a Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTI Neo) do Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), em Quixeramobim, no Sertão Central. A criança recebeu alta no dia 11 de abril, 20 dias após ser internada.

Estrutura

Atualmente, a Ciopaer conta com quatro bases fixas, instaladas em Fortaleza, em Juazeiro do Norte, em Sobral e em Quixadá. A coordenadoria dispõe de dez aeronaves, sendo nove helicópteros (um EC130 B4, dois AS350B2 esquilo, três Airbus EC135 e três EC145) e um avião modelo Cessna 210. No total, 166 profissionais de segurança pública compõem o efetivo da unidade aérea, entre pilotos, tripulantes operacionais, mecânicos e apoio solo, além de 22 profissionais de saúde do Samu Ceará.

“Quase todo período de vida pública de policial militar foi na Ciopaer. Foi aqui que consegui criar minha família, constituir o meu lar, com o trabalho que prestei e presto à Coordenadoria”, disse o subtenente da Polícia Militar do Ceará (PMCE), Ésio Freitas, que é mecânico da Ciopaer desde sua criação.

Fonte: ce.gov.br