Durante todo o ano de 2020, a Emergência acolheu mais de 60 mil adultos, idosos e crianças

Entre as unidades de saúde da rede de assistência da Prefeitura de Fortaleza, o Instituto Doutor José Frota (IJF) é referência no socorro aos traumas de alta complexidade. Durante todo o ano de 2020, a Emergência acolheu mais de 60 mil adultos, idosos e crianças, que chegaram ao hospital com lesões graves causadas, muitas vezes, em situações que poderiam ser evitadas com ações básicas para a prevenção de acidentes em casa, no trabalho e no transporte.

Em sua maioria, as fraturas e ferimentos estão relacionadas às quedas, às ocorrências de trânsito, às queimaduras, às intoxicações por picada de escorpião e à ingestão ou aspiração de objetos estranhos, como moedas e peças de brinquedos.

Durante os primeiros meses da pandemia de Covid-19, o isolamento social necessário para o controle dos riscos de contágio também teve efeito positivo na redução de internações por acidentes no IJF. A diminuição do fluxo nas áreas de atendimento, além de evitar a exposição de usuários ao ambiente hospitalar, também permitiu uma melhor administração dos insumos clínicos, da ocupação dos leitos e da organização de funcionários empenhados, inclusive, na assistência às vítimas de complicações pelo coronavírus das alas Especiais do Anexo IJF 2, que atualmente contam com 50 leitos.

Com a renovação das estratégias de enfrentamento à doença, tendo em vista o crescimento das demandas por internações em enfermarias e unidades de terapia intensiva (UTI) de todo o País, a Direção do IJF também reforça a necessidade de cuidados para conter hospitalizações por outras causas evitáveis, principalmente entre idosos, portadores de transtornos mentais e deficientes físicos.

Os pacientes com mais de 60 anos de idade estão os que mais demandam atenção das equipes traumatológicas do IJF, por conta das complicações causadas pela associação das lesões à outras doenças, como diabetes, hipertensão, osteoporose e até desnutrição. As quedas são causas de fraturas mais relatadas, ocorrendo, principalmente, nos ambientes domésticos, em banheiros, cozinhas, quintais e quartos.

Para todas as idades, a prevenção é sempre o melhor remédio e a manutenção de ambientes saudáveis e seguros é indispensável. As crianças, independente da faixa etária, sempre devem contar com a supervisão de adultos e certos ambientes e atividades devem ser evitadas, observando os riscos de queimaduras, choques elétricos e engasgos.

Já a desobediência às leis de trânsito sempre está relacionada às ocorrências com vítimas graves nas ruas e avenidas, sendo os motociclistas os mais numerosos nas estatísticas de mortes, amputações e demais sequelas permanentes. Todo condutor deve estar atendo à responsabilidade que tem sobre a sua própria vida e a vida dos demais. Infelizmente, famílias estão sofrendo pela resistência de alguns para o controle da velocidade, para o uso correto do cinto de segurança e do capacete e para a proibição do consumo de bebidas alcoólicas pelos motoristas. Muitas crianças morreram ou sofreram mutilações por atropelamentos ou quedas e colisões quando eram conduzidas indevidamente em motos pelos próprios pais, o que também é restrito conforme a legislação vidente.