Ao contrário dos cachorros, os gatos tranquilamente irão aceitar comida de alguém que está sendo desagradável para os seus donos, é o que diz um novo estudo produzido pela Universidade de Quioto, no Japão. Apesar do documento sugerir que os cães sejam mais leais, as conclusões obtidas podem não ser tão simples assim.

Segundo a pesquisa publicada na Animal Behavior and Cognition, é possível que os felinos não sejam necessariamente desleais no sentido literal da palavra, mas na verdade socialmente incapazes de reconhecerem quando alguém está tratando seu dono inadequadamente.

Avaliando a lealdade

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Para a obtenção de respostas, o estudo formulou um experimento envolvendo um pote, 36 gatos domésticos e seus respectivos donos. Então, os participantes foram divididos em grupos vivenciando duas situações completamente distintas: os “ajudantes” e os “não-ajudantes”.

Em ambos os casos, o cenário simulado apresentava um ser humano (dono) com dificuldades para abrir um pote e solicitando ajuda para outro indivíduo. No grupo dos ajudantes, essa segunda pessoa voluntariamente se ofereceria para ajudar o dono do gato durante esse processo. Já no outro caso, essa pessoa se recusaria a oferecer auxílio e simplesmente iria embora — demonstrando ser um “inimigo” do dono.

Após toda a interpretação, o ator e a pessoa neutra de cada tentativa ofereciam um pedaço de comida ao gato enquanto a equipe de pesquisa anotava todas as respostas. Depois de quatro rodadas, a resposta era clara: os gatos simplesmente não ligavam para quem lhes ofertava comida. Anteriormente, a equipe de pesquisa mostrou que os cães submetidos ao mesmo experimento evitavam pessoas que se recusavam a ajudar seus donos.

Incapacidade social

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Por mais que o resultado tenda a indicar que os cães são mais leais e que os gatos seguem o estereotipo de bichos de estimação egoístas, o experimento pode demonstrar outra coisa. Na visão dos autores, é provável que os felinos não consigam distinguir qual o objetivo das ações dos seres humanos, o que faria quase impossível para eles notarem quando alguém está agindo negativamente com uma pessoa amada.

Em outras palavras, eles podem não ter percebido que a outra pessoa não estava ajudando seu dono a abrir o pote. Sendo assim, ao longo da história os cachorros teriam desenvolvido uma maior capacidade emocional para conseguir servirem aos seres humanos em situações sociais.

O estudo ressalta que é mais provável que os gatos não entendam nossas relações sociais tanto quanto os cães, porque esses foram domesticados muito antes. Além disso, os ancestrais dos cães viviam em matilhas, ao passo que os gatos eram caçadores solitários, o que pode significar que eles já tinham habilidades sociais hiperdesenvolvidas quando foram domesticados.

 

Fonte: MegaCurioso